FCDL/SC firma parceria e entra na luta contra o Aedes aegypti

0
14

Conforme boletim sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti, 727 focos do mosquito já foram identificados em 75 municípios do estado até 12 de janeiro. Comparado ao mesmo período do ano passado, o aumento é de 28,4%. Santa Catarina contabiliza, atualmente, 76 municípios considerados infestados. Por este motivo, a Federação das CDs (FCDL/SC) entrou na luta contra a proliferação de criadouros do transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, e passará a divulgar em seus canais de comunicação formas de prevenção para evitar a epidemia.

“O perigo é triplo. Um só mosquito transmite três doenças que, se não tratadas, podem levar a óbito. A união de esforços é fundamental para eliminarmos o problema pela raiz, que é não permitir que este mosquito se reproduza”, afirma Ivan Roberto Tauffer, presidente da FCDL/SC.

“Precisamos de todos no combate ao mosquito, que em apenas sete dias tem um ciclo completo, ou seja, ao depositar os ovos em locais com água parada, em uma semana já temos novos mosquitos”, destaca Raquel Bittencourt, superintendente da Vigilância em Saúde (SUV).

Prevenção – Com atitudes básicas é possível eliminar criadouros do mosquito. Entre as medidas estão a separação dos resíduos e a destinação correta do lixo; a manutenção das estruturas físicas, envolvendo limpeza de lajes, calhas e marquises, além de evitar usar pratos nas plantas, garrafas guardadas com os gargalos para baixo, caixas d´água vedadas, lavar os potes de comida e água dos animais e evitar acúmulo de entulho. Informações completas e acesso a materiais informativos podem ser obtidas no site dengue.sc.gov.br.

DEIXE UMA RESPOSTA