A transformação do Estado em destaque na ACIF

0
25

O Brasil está diante de uma impositiva e inadiável reforma administrativa, uma das principais bandeias estratégicas da ACIF. Diante da necessidade de um ambiente mais livre para empreender, a entidade trouxe Wagner Lenhart, secretário nacional de Gestão e Desempenho Pessoal do Ministério da Economia, para a apresentação ‘Transformação do Estado – como o Governo Federal está projetando a reforma administrativa’, na última segunda-feira (17).

“Estamos em um momento de revisão total no funcionalismo público, com atenção ao verdadeiro federalismo, propiciando a descentralização e aproximando os brasileiros de seus representantes”, afirmou Lenhart, que explicou os planos do Executivo nacional diante da reforma. “Queremos prezar pela gestão de pessoas, pela meritocracia e por um Brasil com um serviço público eficiente”, explicou. Segundo ele, os anos de irresponsabilidade fiscal geraram uma equivocada gestão de carreiras, resultando em 33% dos servidores no topo da carreira, 95% deles com o valor máximo de bônus por desempenho e 60% recebendo gratificações após a aposentadoria. “Isso desestimula qualquer trabalhador. E temos um quadro ótimo, porém desmotivado diante de uma legislação que não contempla os novos rumos da economia mundial. Precisamos mudar esta cultura”, alertou.

O evento também marcou o início de uma parceria entre a entidade e o Instituto de Formação de Líderes em Santa Catarina (IFC-SC), que culminará com o V Fórum Liberdade e Democracia, em 22 de maio, na Associação Catarinense de Medicina (ACM), também inserido nas comemorações dos 105 anos da ACIF.

Para Rodrigo Rossoni, presidente da entidade, a reunião com o secretário foi importante para destacar aspectos cruciais da agenda da ACIF: o enxugamento da máquina estatal diante de prioridades absolutas – como saúde, educação e segurança – o equilíbrio fiscal e o fomento às Parcerias Público-Privadas (PPPs), concessões e privatizações. “Estamos também orgulhosos pela parceria com o IFL-SC, um bastião das ideias liberais”, frisou.

DEIXE UMA RESPOSTA