Schaefer Yachts forma nova turma do Projeto Pescar

0
76

 

Parceira profissionalizou oito alunos em vulnerabilidade social da região de Biguaçu, na Grande Florianópolis 

 

Oito alunos em vulnerabilidade social da região de Biguaçu (SC), na Grande Florianópolis, deram o primeiro passo em direção ao mercado de trabalho durante a formatura do curso Iniciação Profissional à Produção Náutica, parceria entre o estaleiro catarinense Schaefer Yachts e o Projeto Pescar. A solenidade ocorreu na última quinta-feira (10), na unidade da capital catarinense da empresa, na cabeceira continental da ponte Hercílio Luz, e contou com familiares, amigos, autoridades e representantes da indústria. “São jovens com atitude e que têm tudo para um futuro promissor. Saem do Pescar mais preparados, maduros e com consciência cidadã”, afirmou Letícia Polli dos Anjos, gerente de Recursos Humanos da Schaefer Yachts. 

 

A formatura foi resultado de um ano de muitas atividades – foram 828 horas/aula – que deixaram o grupo com habilidades para atuar na indústria náutica, além de conferir a eles noções de cidadania e ética. Segundo Paula Hoffmann Costa, orientadora do projeto, o curso não formou somente novos profissionais, mas também cidadãos. “Não se trata apenas de aptidão para o trabalho. Os valores incutidos vão acompanhá-los por toda a vida”, comentou, orgulhosa.

 

Presente no evento, a secretária de Educação de Biguaçu, Luciane Beatriz Garzo, ressaltou a vontade dos participantes. “Foi um período puxado, que envolveu muita dedicação”, disse, ressaltando o exemplo da empresa: “É de empreendedores assim que precisamos para construir uma sociedade melhor e mais justa”. Carlos Stegemann, paraninfo da turma e responsável pela dinâmica Fomento à Leitura, contou um pouco sobre sua participação. “A ideia foi mostrar o quanto a literatura ensina e diverte e todos assimilaram muito bem a proposta. Eram jovens que nunca haviam lido um só livro e se tornaram fãs de Julio Verne, Gustav Flaubert, Connan Doyle, Kafka e outros”, relatou.

 

Turno integral– Ézio Rezende, superintendente da Fundação Projeto Pescar, frisa que a iniciativa, aliada ao turno escolar normal, oferece a tão sonhada escola de período integral. “Com o Pescar o aluno está sempre em atividade, nas unidades de ensino e nas aulas promovidas na empresa correspondente. Trata-se de uma realidade almejada por toda a sociedade”, explica.

 

Com 40 anos de história, o Projeto Pescar já capacitou cerca de 27,5 mil pessoas, com taxa de 92,1% de empregabilidade.  Hoje a iniciativa possui 98 unidades no Brasil e 28 no exterior, em países como Argentina, Paraguai e Angola.

?

DEIXE UMA RESPOSTA