Pesquisa FCDL/SC e Fecomércio/SC: compras do dia das crianças voltam a ganhar força

0
52

 

Quase 1/3 dos entrevistados estão em situação financeira melhor que 2015

 

Após recuo em 2015, a previsão de gastos do catarinense para o dia das crianças volta a ser animadora: a expectativa é que o valor médio no estado fique em R$ 177,70 – o que corresponde a 21,1% de acréscimo sobre a intenção de compras no ano passado (R$ 146,78) e próximo ao observado em 2014 (R$ 178,91). Os dados são da pesquisa da Federação das CDLs de SC (FCDL/SC) e Fecomércio SC.

“O resultado pode refletir as mudanças no comportamento do consumidor após a troca do Governo Federal e os ajustes na economia”, de acordo com Ivan Tauffer, presidente da FCDL/SC. “A famílias ainda convivem com a redução da renda e o desemprego, mas alguns setores já apontam uma recuperação”, lembra o líder lojista.

De acordo com o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, os números do último mês já sinalizam para a retomada do ânimo no varejo e na indústria. “Santa Catarina foi um dos últimos estados a sentir os efeitos da recessão, então a recomposição deve ser lenta, a partir do primeiro semestre de 2017, mas consistente. Os indicadores de confiança do empresário já mostram os primeiros sinais positivos”, avalia.

Conforme o levantamento, 35% dos entrevistados declararam estar em situação financeira pior do que no mesmo período do ano anterior, enquanto 35,5% revelaram que as condições são iguais e 29,5% afirmaram estar com mais dinheiro no bolso. A preferência por pagamento integral da compra e a preocupação com o comprometimento da renda também se destacam. A modalidade à vista foi a mais apontada (77,5%), seguida pelo parcelamento no cartão de crédito (17,7%) e pelo crediário (3,7%). A pesquisa de preço será a estratégia adotada por 70,7% dos consultados, resultado semelhante em todas as cidades pesquisadas, o que mostra uma forte tendência do catarinense.

 

Perfil do consumidor

 

O comércio de rua será a opção da maioria da população do estado (73,5%), seguido por shopping centers (17,2%). Apesar da preferência do consumidor, com (51,9%), os brinquedos dividirão a atenção com itens de vestuário (31,5%) e calçados (4,9%). Uma pequena parcela (2,3%) ainda está indecisa quanto ao presente.

Sobre a presença das crianças no momento da compra, 74,4% disseram preferir não levá-las, enquanto que apenas 23,8% responderam afirmativamente. Quando questionados se a criança escolherá seu presente, 64% dos entrevistados responderam que isto não ocorrerá.

Além do comércio tradicional, a data também movimenta o setor de serviços, já que a data é feriado nacional. No estado 25,3% dos entrevistados planejam almoçar ou jantar na casa de parentes, seguidos pelos 14,7% que realizarão atividades ao ar livre e pelos 8,8% que levarão seus filhos a um parque de diversão. No entanto 31,6% afirmaram que não pretendem realizar programa especial. A amostra da pesquisa foi realizada com consumidores em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Lages e Itajaí.

 

DEIXE UMA RESPOSTA